Associação entre o consumo de álcool e lesão de manguito rotador

O artigo de hoje, originalmente “Association between alcohol consumption and rotator cuff tear”, vamos falar sobre como o longo e alto consumo de álcool pode influenciar na ocorrência e severidade das lesões de manguito rotador (MR). Estudo na íntegra você encontra no site: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4812079/pdf/iort-87-165.pdf .

empresa-busca-pessoa-para-viajar-beber-cerveja-e-ainda-ganhar-r-43-mil
Não, não é só o peso da caneca que vai lesionar seu ombro!

 

Os tendões dos músculos supraespinhoso e infraespinhoso possuem uma porção com vascularização reduzida, na qual doenças sistêmicas, locais ou hábitos de vida podem prejudicar, levando à lesões. Sabe-se que o hábito de doses elevadas de álcool leva a diminuição da circulação dos tecidos.

Com bases nesses fatos, o estudo caso-controle investigou se o consumo de álcool contínuo e elevado é fator de risco na lesões de MR.

Os indivíduos (homens e mulheres) com lesão de MR somaram 249, com média de idade de 64 anos. A lesão foi diagnosticada por exame físico, radiografia e ressonância magnética, e classificada em quatro tipos, segundo o Instituto de Ortopedia do Sul da Califórnia (The Southern California Orthopedic Institute). No estudo as lesões foram separadas entre 3 grupos, sendo o tipo 1 pequeno, tipo 2 e 3 largos, e tipo 4 extenso. O grupo controle teve 356 indivíduos, com idade média de 66 anos, sem histórico de patologias de ombro. Foram excluídos aqueles que apresentavam um ou mais testes de ombro positivos e/ou um exame positivo de imagem de ultrassom, mesmo assintomático.

Questionários foram respondidos sobre os hábitos de cigarro, doenças e consumo de álcool. Mais detalhadamente foi investigada a quantidade de álcool consumida, a duração e o tipo, a fim de calcular uma estimativa de consumo total de álcool por dia. Homens e mulheres foram analisados separadamente, e foram classificados em não bebedores, bebedores e bebedores excessivos.

A idade, sexo e IMC eram similares no caso e no controle. O consumo total de álcool, consumo de vinho e histórico de consumo de álcool foram estatisticamente maiores em homens e mulheres com lesão do MR, comparados com os grupos controles. Não foram encontrados riscos significativos para bebedores, somente para bebedores em excesso.

Foi encontrado maior consumo de álcool em indivíduos com lesão extensa de MR que naqueles com lesões pequenas e grandes. E por fim, uma análise de regressão lógica revelou que o consumo de álcool diário, o cigarro e a diabetes mellitus, todos considerados individualmente, foram associados com a ocorrência de lesão do MR.

Estes resultados não levaram em conta a quantidade precisa de álcool ingesto, que afeta de formas diferentes em homens e mulheres, porém pode ser explicado pelos efeitos tóxicos diretos do álcool em tendões, pela inibição da proliferação do fibroblasto e síntese de colágeno, quando consumido  a cima das doses recomendadas.

A duração do hábito de beber também foi um fator de risco significante para o início da lesão.

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s