Dor mecanica cervical

Como esta semana o enfoque esta na coluna cervical, separamos um artigo sobre a importância de uma boa avaliação para traçar uma conduta mais eficiente.

Abaixo fizemos uma breve descrição do artigo, que pode ser encontrado neste link  e foi publicado na JOPST em maio de 2009, mas ainda é bem atual.

 

 

Ele descreve que a dor cervical pode ser um transtorno recorrente incapacitante e caracterizado por períodos de remissão e exacerbação. Estima-se que, em qualquer período de 6 meses 54% dos adultos experimentam dor no pescoço,  cerca de 5% com limitações nas atividade diárias e apenas 6,3% dos indivíduos terão apenas um episódio de dor mecânica cervical.

Esta tendência para a cronicidade da dor e episódios recorrentes de crises pode ser atribuída, pelo menos em parte, à recuperação inadequada da função muscular cervical pós lesão, especialmente considerando-se a forte dependência da coluna cervical em seus músculos para seu suporte e estabilização. Diferente dos episódios de dor lombar, a disfunção muscular cervical não parece se recuperar espontaneamente após a redução dos sintomas mais agudos.

Dessa forma, é cada vez maior o numero de estudos sobre os mecanismos de identificação da disfunção muscular cervical. Pertinente para a prática clínica, programas para retreinar função muscular têm se mostrado favoráveis em termos de melhorias na dor e função. Uma revisão sistemática recente sugere que a combinação de exercício e terapia manual é o tratamento mais eficaz  para dor mecânica cervical subaguda ou crônica. Embora as evidências indiquem a importância da avaliação e treinamento de função muscular cervical na conduta do tratamento, o desenvolvimento de diretrizes clínicas para sua ótima aplicação na prática clínica exige esforços adicionais. É preciso, ainda, chegar a um consenso sobre o melhor método para medir, classificar, treinar e devolver a função muscular cervical. Enquanto as intervenções voltadas para a devolver a função muscular demonstraram respostas favoráveis ​​em aliviar a DMC, o desenvolvimento de melhores estratégias práticas para a avaliação e conduta da disfunção muscular cervical ainda é um trabalho em andamento.

Além disso, o artigo responde a varias questões pertinentes sobre o assunto como:

Qual intensidade do treinamento é mais eficiente para melhorar o desempenho dos músculos cervicais?

Pode ser usado diferentes intervenções ao mesmo tempo? Qual é a melhor combinação?

Qual melhor período para inicio da reabilitação?

Ficou curioso? Então leia o artigo completo para maiores esclarecimentos sobre o assunto na prática clinica.

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s